Cartas da Guerra

CinemaQuarta-feira Agosto 24
1200x630_324380_cartas-da-guerra-letters-from-war-i


Onde?
Cinema São Jorge
Av. da Liberdade, 175
Ver Mapa
?When

19h30

?How Much

Não disponível



Onde?
Cinema São Jorge
Av. da Liberdade, 175
Ver Mapa
Quando?

19h30

How Much?

Não disponível

Ivo Ferreira assumiu a grande responsabilidade de adaptar, para o grande ecrã, “D’este viver aqui neste papel descripto: Cartas da Guerra” de António Lobo Antunes. Como o título indica trata-se de uma colecção de cartas que o próprio escreveu para a sua metade grávida. Os escritos remontam a 1971 durante a sua estadia forçada como médico ao serviço do exército português num dos piores teatros da Guerra Colonial: o Leste de Angola. Considerando a componente autobiográfica desta obra foi um trabalho de grande delicadeza, sensibilidade e que, por isso, foi manuseado com pinças.

Se o nosso nome não for MacGyver, no cenário apocalíptico da Guerra Colonial, uma folha de papel em branco poderia parecer tão inútil quanto um par de sapatos de salto alto ou mesmo um coador em pleno Deserto do Saara. Não obstante foi precisamente este suporte que o protagonista usou como refúgio espiritual para extravasar todos os amores e horrores que simultaneamente o habitavam. Desde a exuberância da natureza até à enfermidade da doença, sem esquecer a poderosa força de gravidade da saudade que lhe puxa o pensamento para lugares de outra forma inacessíveis.

Sabemos que muito sangue foi derramado durante a Guerra Colonial mas a opção pelo preto e branco reflecte uma época em que não havia lugar para a cor cinzenta, já que o meio termo não era um lugar comum. Esta noite relembra-se um dos períodos menos áureos da nossa História porque não é por o esconder debaixo do tapete que este lado negro se desvanece.