FESTin

CinemaQuinta-feira Abril 9
FESTin


Onde?
Cinema São Jorge
Av. da Liberdade, 175
Ver Mapa
?When

Até 15 Abr.

?How Much

3€ (+descontos)



Onde?
Cinema São Jorge
Av. da Liberdade, 175
Ver Mapa
Quando?

Até 15 Abr.

How Much?

3€ (+descontos)

A língua é um património comum, é uma marca identitária e, como tal, deve ser valorizada e transmitida às novas gerações para que esta herança cultural continue a fluir. A língua portuguesa é muito importante porque é a nossa língua, porque é recorrendo a ela que transmitimos o que nos vai na alma, as nossas sensações e preocupações. Uma mão já não é suficiente para contar o número de edições deste festival, que já vai na sexta. O objectivo é o de fazer sempre melhor, de mostrar uma maior diversidade de filmes de qualidade, numa verdadeira descoberta do cinema falado em português.

Este ano, o FESTin foca a sua atenção na cinematografia de um dos países mais recentes do mundo: Timor-Leste. Nesse âmbito vai ser exibido o documentário “Fraternuras” e após o mesmo o debate prolonga-se com a mesa-redonda “Timor, Janela Aberta”. Como já vem sendo habitual, tem uma vez mais a mostra de longas-metragens. Nesta edição vão estar em competição 10 longas-metragens, oriundas do Brasil e Portugal. Destaques para o filme “A Despedida”, do realizador Marcelo Galvão, que regressa com uma abordagem do universo da terceira idade; “Alemão”, de José Eduardo Belmonte, que narra a história de cinco polícias infiltrados que preparam a invasão do Complexo do Alemão; “Jogo de Xadrez”, drama com contornos policiais; “Uma dose violenta de qualquer coisa”, road movie intenso; e nos filmes portugueses, “Lura” e “A Porta 21″.

A escolha é igualmente variada quanto aos documentários. Chamamos a atenção para “Água para Tabatô”, do realizador Paulo Carneiro, que esteve presente nas filmagens do filme “Batalha de Tabatô”, de João Viana e não resistiu a mostrar-nos como foi a viagem até à ilha de Bolama, na Guiné-Bissau. Em “Yetu-A Nossa Música”, de Ulika da Paixão Franco, podemos ver um documentário sobre a música de Angola. Para fechar em beleza vai ser exibido “Não pare na pista”, uma biografia do aclamado escritor brasileiro Paulo Coelho.

Como vês há muitos e bons filmes à escolha. Podemos também contar contigo?