100 Lisboetas que tens de conhecer!

# 27 – Raquel Costa

Foto: Bruno Veiga Photography

Raquel Costa, nascida há 32 anos em Oliveira de Azeméis, no hospital, equidistante de casa e do campo da bola. Cresceu a ver demasiada televisão, k7 beta e VHS que o pai alugava no videoclube para a entreter. Viu “Laranja Mecânica” com cinco anos. Isso explica muita coisa…
Muda-se para Lisboa em 2001 (uma semana depois do 11 de setembro) para estudar Ciências da Comunicação na FCSH.  Nunca acabou o curso. Estagiou na revista Lux, onde ficou até 2009, ano em que se “transfere” para a extinta Notícias TV. Passa pelo jornal 24 horas, também ele já defunto. Atualmente, trabalha no centro de produção de conteúdos de media/tv e social da Palavra Ditas para o grupo Global Media.
Ah! E, nos tempos livres, escreve barbaridades sobre amor & fodanguice na página de Facebook A Gaja. Escreveu o livro A Gaja. Muito original!
Gosta de comer, de cozinhar, de comprar coisas estranhas nos supermercados chineses. E do Festival da Eurovisão.
É por isso um bicho suficientemnete raro para figurar no nº 27 desta nossa Lista!

Diz-me quem é a Raquel Costa vista de fora?
Sou aquela rapariga que está no metro ou no autocarro a observar-vos! Muahahahaha! [riso maléfico]

És alfacinha de berço, com devoção ou por convicção?
Sou oliveirense de berço (oliveirense = gentílico de Oliveira de Azeméis) e lisboeta por consequência. Vivo em Lisboa desde 2001. Vim para cá estudar e cá fiquei. Fui saltando de freguesia em freguesia. Já vivi em Arroios, na freguesia de Nossa Senhora de Fátima, em São Domingos de Benfica. Agora vivo em Benfica e… não penso mudar tão cedo!

P​orque achas que foste escolhida para esta lista de 100 Lisboetas que todos devem conhecer?
O facto de ser uma lisboeta com sotaque do norte torna-me uma freakzinha interessante para esta cidade. Mas, para ser honesta, penso que fui escolhida por causa do meu alter-ego, A Gaja. A Gaja é uma moça louca que escreve umas palermices sobre sexo, relações e que tem um livro que está à venda por aí. Se forem suficientemente arrojados para comprar, podem adquiri-lo aqui!

Qual foi a pior ideia que tiveste até hoje?
Tentar fazer pão em casa… Não, estou a gozar. Acho que a pior das ideias pode ter uma ótima concretização… Sei lá. Esta pergunta é difícil… apetece-me responder “só tenho boas ideias” mas acho que neste tipo de questionários o pretensiosismo tem de ser qb. Ah… que se lixe! SÓ TENHO BOAS IDEIAS!

Que projetos estás a cozinhar neste momento no teu forno encefálico?
Detesto a palavra “projetos”. Sou jornalista e sei que, quando um famoso diz “tenho projetos mas ainda não posso revelar nada” significa que está sem fazer a ponta de um chavelho. Por isso… Não tenho projetos. Nenhuns. Zero. Quer dizer… projeto acordar amanhã e comer uns ovos mexidos maravilhosos. Adoro comer. Hmmm.

Há algum segredo que ainda falte revelar sobre ti?
Nah… não sei guardar segredos. Nem os meus. Sou péssima.

Gostas de alfaces?
Sou a rainha das saladas. Perguntei a qualquer pessoa que já tenha vindo jantar cá a casa. Alface frisada, alface icebergue, alface roxa…

Para ti Lisboa é…
Amor, pecado, redenção. Trabalho, suor, vitória. Partida, chegada.

Revela-nos qual a tua 2ª cidade, a seguir a Lisboa, obviamente!
Oliveira de Azeméis. Cada vez mais sou militante da cidade onde nasci. Gostava que os oliveirenses valorizassem mais a sua terra. Há montanha, mar, rio, natureza, cidade, boa comida, tranquilidade, indústria…

Se fosses Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, qual a tua primeira medida?
A recolha do lixo/limpeza das ruas. Lisboa está cada vez mais imunda. É lamentável.

O que gostarias de ver em Lisboa na próxima semana, no próximo mês e no próximo ano?
Na próxima semana: tubarões no Tejo (mas tubarões simpáticos… é só porque não curto golfinhos).
No próximo mês:  sarjetas REALMENTE limpas. Porque já se sabe o que é que vai abrir os noticiários naquelas primeiras chuvadas de Setembro…
No próximo ano: metro sem greve.

Lisboa tem prazo de validade?
Se o terramoto não destruiu esta cidade…

Qual é a primeira coisa em que pensas quando regressas a Lisboa?
“Vou estar com os meus amigos! Yay!”

Se Lisboa fosse uma gaja, como seria?
Lisboa é uma trintona poderosa, perna grossa, anca larga, cabelo comprido, castanho. Marcha de salto alto na calçada portuguesa enquanto fala ao telemóvel em várias línguas. É uma mulher do mundo mas que ama a sua casa. Sabe ser forte mas também doce. Come sandes de coirato mas também sabe sorver uma ostra sem ponta de ruído.

Sugere-nos outras pessoas dignas da referência “100 Lisboetas que tens de conhecer!”.
Tiago Guillherme, jornalista: é um dos maiores defensores de Lisboa. Crítico incansável, está sempre atento às pequenas (e grandes) maleitas desta cidade.
Isabel Laranjo, jornalista: a melhor guia para dar um passeio pelas ruas da cidade, seja de noite ou de dia. Ela conhece a história das ruas, dos monumentos, sabe onde se come uma boa caracolada por um preço irrisório e tem sempre uma dica surpreendente. Cresceu num pátio alfacinha e… é lisboeta de terceira geração. Uma raridade, numa cidade feita de migrantes como eu
Ivo e Cátia Lagartinho Rainho Pereira, donos da empresa Pingi ao Cubo  e sócios da 2inLisbon: além de serem meus amigos e pais do meu afilhado são dois empreendedores que não cruzaram os braços perante a crise. Criaram uma empresa, juntaram-se a outros criativos que tinham os seus negócios nas redes sociais e, juntos, abriram a 2inLisbon, em Campo de Ourique. E, nos intervalos, ainda conseguiram fazer dois filhos!