Francisca Antunes

No início do mês lançamos um desafio aos nossos leitores: tornarem-se nossos seguidores no Instagram (se ainda não o fossem), captarem uma foto sob o tema “Lisboa natalícia” e usarem a nossa hashtag #lecoolisboa. A melhor foto seria a capa da nossa edição de Natal! Como o prometido é devido, após uma escolha difícil, decidimos e quisemos logo saber mais sobre a autora da fotografa e nossa seguidora: a Francisca Antunes.

Parabéns Francisca!
E vocês, estejam atentos porque 2016 será recheado de novidades “cool”!

Quem é a Francisca Antunes? De onde vens? Para onde vais?
Tenho 23 anos, estudo Direito, nasci em Coimbra, mas apaixonei-me por Lisboa.
Já comecei a traçar o meu futuro, faz escala em Lisboa e o destino escolhido é o Mundo. Junto duas das minhas grandes paixões, viajar e fotografar, isto porque a câmera será sempre a minha companheira.

Porque decidiste captar esta imagem em específico para a capa da Le Cool?
Tirei esta fotografia no feriado de 8 de Dezembro.
Na típica confusão da baixa lisboeta nesta época, procurava um sitio onde pudesse ajustar os tempos e os isos e disparar. Foi no meio de uma passadeira que encontrei o enquadramento que desejava. Suspensas estavam as estrelas, sempre ouvi dizer que nos indicam o caminho… Eu, estava a caminho de casa.

Há quanto tempo descobriste a Le Cool e porque não a queres largar?
Gosto de estar informada sobre as novidades da cidade, o que se passa, o que abriu ou reabriu, a sua agenda cultural, as festas que ninguém deve perder.
Entre amigos, se quisermos escolher algo que nos afaste da rotina, um lugar ou um programa, eu ouço sempre “tu é que sabes sempre isso tudo”. Acho que a Le Cool é, em parte, responsável por isso. Tenho nela uma grande conselheira.

O que mais gostas de fotografar em Lisboa?
A luz, a luz de Lisboa. A autenticidade e genuinidade dos bairros e das gentes. Os telhados. Perco-me muitas vezes por ruelas na busca do que esta cidade tem de enigmático.
Lisboa tem em cada canto um recanto, tem história e alma.
Fotografo pela história que as fotografias me contam ou que invento para elas. Gosto de ser fiel ao que vejo e àquilo que desperta em mim.

Conseguirias resumir Lisboa numa frase ou teria de ser mesmo uma imagem?
Lisboa tem cor e luz, é quente e misteriosa. É passado, presente e futuro. É partida e chegada. É das fotografias mais bonitas que a minha câmera há-de captar.

Isto do Instagram é amor à fotografia ou vício mesmo?
É amor à fotografia, saudável. Se é vicio? Não sei, mas o amor também é viciante. Uso o instagram exactamente pela minha vontade de partilhar as fotografias e as suas perspectivas e pormenores com quem também me faz viajar sem sair do mesmo sítio.

Quais são os teus 3 sítios favoritos em Lisboa?
O facto de gostar muito de andar sem destino muitas vezes pela cidade leva-me a ser surpreendida por lugares. São às vezes autênticas varandas para a cidade. Gosto muito de ver a cidade de cima, a qualquer hora do dia, os miradouros conhecidos e os ainda escondidos têm um lugar de especial fascínio para mim. Mas ainda melhor são os privados, aquelas varandas que abraçam os edifícios mais antigos.
Já falei da luz de Lisboa, sempre presente, mas gosto especialmente de ver o por do sol naquela que é uma autêntica porta para a cidade, o cais das colunas ou na ribeira das naus.

E agora, como vencedora que és, está na hora dos habituais agradecimentos, beijinhos e boas-festas…
Resta-me agradecer muito a esta equipa fantástica pela oportunidade. E desejar a todos um natal muito doce e feliz e um ano com muitos sonhos realizados!