Inês Murta

Inês Murta nasceu em Setúbal, mas Lisboa é o palco para desenhos e fotografias que gosta de partilhar com quem a segue. É designer gráfica e ilustradora, mas esteve quase para se agarrar às letras quando optou pelas humanidades no secundário. Continua, contudo, a gostar de escrever e a querer contar histórias, mas agora com recurso às artes visuais. Apreciem este e na próxima semana, as duas histórias que criou para nós.

Explica-me lá as tuas capas, mas não me faças um discurso!
As minhas capas [n.d.r. esta e a da próxima semana] são sobre Lisboa, a Primavera, o amor e as despedidas.

De onde vens, quem és e para onde vais?
Venho de Setúbal. Sou criativa, gosto de ter ideias e dar-lhes vida, estudei artes plásticas e design e é para aí que pretendo ir, para onde possa criar.

O que te agrada mais ilustrar?
Para ilustrar gosto de ter ou inventar uma história, mas mais que tudo preciso dos meus fones, de música.

O que é que em Lisboa mais te inspira para uma ilustração?
O que mais me inspira em Lisboa são as pessoas e os lugares maravilhosos espalhados por esta cidade.

Se pudesses resumir Lisboa numa imagem, qual é que seria?
Um sorriso bonito de que te custa dizer adeus.

Revela-me um percurso, um bairro ou uma história engraçada sobre a cidade.
O bairro da Bica é o sitio que mais me marcou em Lisboa. Vivi ai nos anos em que estava a estudar na Faculdade de Belas Artes, que fica mesmo perto. O prédio em que estava tinha quatro andares, todos eles ocupados por pessoas que se tornaram amigas. Adorava sair de casa de madrugada, enquanto estava a estudar, ir beber um café ao bar da esquina e ver o bairro a vibrar.