Marcelo Marcelo

foto: Luísa Ferreira/Lux Frágil

Marcelo Marcelo, o nosso ex-colaborador Le Cool Lisboa, conhecido pelas suas dicas que nos tentavam a noite insones e pela foto de perfil em que a sua cabeça é um grande algodão-doce, prepara-se para lançar a sua editora discográfica a Shift Imprint. Isto numa altura em que a maioria das editoras em Portugal publicam e distribuem a sua música no digital, esta Shift Imprint terá desde o seu primeiro E.P. “Hynek’s Scale” edição em discos de vinil, cujas batidas irão fazer dançar os maiores pés de chumbo.
Enigmático, este Marcelo ao quadrado, só recentemente revelou o seu rosto nos sites de redes sociais, mas desde os 17 anos que pode ser visto na noite Lisboeta em trajes sui generis. Depois de kimonos e casacos mexicanos, o que será que levará vestido para o lançamento oficial da sua editora na festa multimédia COSMODROME?

Marcelo Marcelo, és assim a duplicar ou ao quadrado? Já agora, sentimos a tua falta na redacção…
O meu nome é enganador, porque brincando com a matemática, sou um Marcelo com expoente n! Sou jovem e ainda tenho muita coisa que quero fazer! A Le Cool Lisboa foi a primeira publicação em que escrevi, já lá vão anos! Tenho um carinho muito especial por ela!

E és eufórico como o nosso novo Presidente, também ele um Marcelo?
O novo Presidente declarou há pouco tempo que “gosta de irradiar felicidade” e, Nortes políticos à parte, é uma característica que acredito que tem de ser endógena ou que deverá ser ficcionada por uma pessoa com tal cargo. Desde pequeno que oiço que “tristezas não pagam dívidas”, quanto a mim, sou positivo, sonhador e penso muito, mas ao mesmo tempo é fundamental manter o pragmatismo, caso contrário, pouco ou nada acontece!

Como te surgiu a ideia de criares uma editora de discos em vinil? Tens 23 anos, és da geração de ’90, não deverias ser 100% do tablet e android?
Desde pequeno que oiço música com a minha irmã 16 anos mais velha, ouvíamos muito a Rádio Oxigénio. E a Isilda Sanches foi fundamental para o que sou hoje, pela música que oiço e danço e que promovi no meu programa de rádio, enquanto agente e assessor e enquanto jornalista. O sonho de uma editora está em mim desde que oiço música!
Cresci na Margem Sul, um meio onde não havia bares, clubes e companhia para ouvir e dançar a música que gosto. Comecei a apanhar o barco e a sair sozinho e comecei a conhecer os DJ’s todos que eram entrevistados no programa do Casino Lisboa na Rádio Oxigénio, todos eles ainda andam com a sua mala de discos nas ruas do Bairro Alto a Santa Apolónia. Todos estes DJ’s continuam a comprar e a trocar discos entre si, batem feiras, passam horas no site Discogs e nos de lojas internacionais e nas lojas locais como a Flur, Carpet & Snares, a loja da Bloop ou a Sound Club.
É por eles e por todos os DJ’s como eles que a Shift Imprint, que lança música de dança, lançará discos em vinil!

A Shift Imprint é uma mudança no panorama nacional?
A Shift Imprint nasce numa altura em que Portugal está cheio de novos produtores e de novas editoras. A nossa editora não é uma mudança, faz parte da mudança.
Nós iremos conviver e desenvolver a nossa actividade ao lado de editoras como a GROOVEMENT (que tem mais de 10 anos!), a Interzona13, a Assemble, a Ostra, a Pluie/Noir, a Pandilla LTD ou a Príncipe, selos nacionais que editam em vinil e que também vendem lá fora! Cada um tem a sua identidade e complementamos-nos uns aos outros neste Mundo da chamada música de dança.

Quando vai ser o lançamento? E já agora, revela-nos (se puderes) como será esse primeiro disco?
O disco será lançado em Setembro e estará disponível nas lojas de Lisboa a Tóquio!
Este primeiro disco é da autoria do meu parceiro Audiopath e conta com a voz de Jerry The Cat, músico de Detroit que já tocou com os Parliament/Funkadelic, com Carl Craig e Moodymann e já editou na Sound Signature de Theo Parrish. Além da participação vocal deste homem incrível, K Alexi Shelby, veterano de Chicago, faz uma versão arrojada do single, utilizando apenas a sua voz e produzindo um tema de raiz. Sigam a página da nossa editora para estarem a par!

COSMODROME ? Isso remete-me logo para as estrelas, conta-nos mais sobre a festa do lançamento…
COSMODROME, as bases de lançamento espaciais russas, servem de mote e temática para uma festa pela qual estou muito ansioso!
Vistam o vosso fato de astronauta (vá, pelo menos o capacete!) e venham dançar ao som do italo de Giorgio Moroder ou Gino Soccio ao house de Ron Trent, Virgo Four, Boo Williams ou Fred P, do electro de Cybotron ao funk dos Earth, Wind & Fire, dos Kraftwerk ao techno de Jeff Mills ou Underground Resistance!
A música está por conta de Alcides (DJ AL) que ainda há pouco tempo tocou com DJ HARVEY no Lux Frágil, é um DJ incrível! A noite continua com Robert Drewek, o fundador da RAWAX, uma editora alemã que todos os DJs’s de música electrónica têm pelo menos um disco! E claro, o meu parceiro Audiopath também irá tocar uma pequena amostra da sua imensa colecção de discos!

Estou a ver que não podemos faltar!
Não podem mesmo! Mas tu só entras vestido de astronauta!