Santini

Place Gelataria
1962800_1011825775519093_6744324256229938631_n


Onde?
Rua do Carmo, nº. 9
Ver Mapa
?When

2.ª - Dom: 11h - 24h

?How Much

Preço Médio: 5€



Onde?
Rua do Carmo, nº. 9
Ver Mapa
Quando?

2.ª - Dom: 11h - 24h

How Much?

Preço Médio: 5€

Aqui na Le Cool Lisboa gostamos de vos mostrar sítios novos, escondidos, dos quais pouca gente ouviu falar. E é o que não falta em Lisboa, spots mais ou menos desconhecidos, que vale a pena descobrir. Mas aqui na Le Cool Lisboa também gostamos de vos relembrar os clássicos, constatar o óbvio (desde que o óbvio mereça o tempo de antena), falar daqueles lugares que toda a gente já foi pelo menos uma vez. E como diz a minha irmã mais nova, “quem não foi, é um ovo podre”.

O Santini existe desde 1949. Consta que Attilio Santini era um senhor muito simpático que conquistava clientes pela boca – a deles pelo gelado e a sua pelo charme. Eu nem preciso de grande simpatia quando lá vou (apesar de geralmente a encontrar), porque na verdade é aquele sítio onde eu continuava a ir de qualquer maneira. Tem dias, como o de hoje, em que estou sentada atrás do computador a trabalhar há horas e de repente, do nada, pumbas: apetece-me um Santini. Há a quem lhe apeteça ir fumar um cigarro, ir comer um bolo, eu é um Santini.

O mundo está dividido em dois tipos de pessoas: as que escolhem sempre os mesmos sabores e as que variam sempre. Eu faço parte deste segundo grupo, sendo que de vez em quando lá repito a avelã, a nata, o morango. A única coisa que faço sempre é pedir para experimentar os sabores que não conheço, que muitas vezes são de bradar aos céus, como doce de ovo com pinhão ou gelado de Melhor Bolo de Chocolate do Mundo. E o brigadeiro? Quando há brigadeiro nem escolho mais nada, são 2 bolas da mesma coisa. Já falei da avelã? Da marabunta? Do maracujá?

Pronto, desisto. Não consigo escrever mais. Já estou a babar e a dieta só me deixa comer um daqui a quatro dias. Quatro longos dias…